Eu tô bem, tu também tá bem, todo mundo aqui tá bem.

Estou me sentindo como uma convidada inexperiente escrevendo seu primeiro post para o Socorro na Cozinha, isso não está certo. Muitas coisas não estiveram mesmo certas, nos últimos… dois anos? É, por aí.

Peguei um carrinho avariado nessa montanha-russa que é a vida e ele não parou mais. Todas as vezes que terminávamos um circuito, ele começava tudo de novo, sem me dar a chance de descer. E foi nessa sequência interminável de altos, baixos, loopings e sensações diversas que cheguei até aqui, tanto tempo depois, sentindo-me uma estranha no meu próprio blog.

Não quero mais estar nesse tempo que passou, então não vou ficar falando dele, ok? Vamos em frente porque estamos todos com saudades disso aqui! Precisamos retomar o trabalho, trazer novos ares para estas páginas e continuar de onde paramos! De post em post vamos nos recuperando e sentindo que somos ainda os mesmos: eu, a que ensina e fala besteira; você, que não sabendo nada de cozinha chegou até aqui e por aqui ficou, seja pelo aprendizado ou pelas besteiras mesmo.

O canal no YouTube também ficou parado, mas já consegui postar três vídeos antes de escrever este post aqui. A coisa por lá também anda um pouco enrolada, porque além de mim, tem a Isabella, nossa querida editora, que também pegou um carrinho maluco recentemente. Mas vamos ver o que conseguimos fazer para voltar a ter uma periodicidade pelo menos semanal com os vídeos, enquanto isso eu volto às atividades aqui no blog!

Contei um pouco do que aconteceu e a grande novidade: não estou morando no Brasil (embora meu coração esteja todinho por lá). Teve também o vídeo de despedida da minha batedeira e ainda vem mais um que gravei antes da mudança: o tour pela cozinha que reformei para o blog e não usei!

Pois é, estou morando em Portugal há seis meses, completados ontem. Nem acredito que já se foi meio ano longe de casa. Estou louca de saudades, sinceramente! Vocês sabem que eu sempre tive um carinho muito grande por Portugal, pela nossa História e tudo o que a gastronomia brasileira nos conta sobre ela. Mas olha, ser imigrante não é mole não… Espero que as dificuldades sejam iniciais e que este país ainda me abrace, deixando bem vivo em mim o encantamento que sempre tive pela terrinha!

Uma coisa eu sei: onde eu piso aqui em Portugal, está tocando “Eu tô bem, tu também tá bem, todo mundo aqui tá bem”. Eu podia jurar de pé junto que era a voz da Ludmilla, mas para não escrever besteira no título do post (sou mestre em cantar errado as letras), fiz agora (ainda bem) uma rápida pesquisa e descobri algo que não esperava: a menina se chama “Caroliina” e ela faz, na verdade, uma participação nesta música, que é de um francês, um tal de “Lartiste”. Confirma, produção? Gente, eu juro que nunca tinha percebido aquele francês todo, só ouvia a parte dela! hahaha! Acho que “eu não tô bem”!

Mas ainda tem outra coisa que eu sei e esta não tem erro: eu sei que você está aí, porque vejo nas estatísticas do blog que ainda tem milhares de pessoas passando por aqui todos os dias, mas sei também que a maior parte dessas pessoas não são os antigos leitores, até porque eles não tinham o que vir ver de novo, não é mesmo? Então queria te pedir um favorzinho: conta para mim nos comentários como chegou até aqui e o que você gostaria de ver de novo no Socorro na Cozinha? E se você for um leitor antigo que veio correndo ver o post novo, apresente-se por favor? Estou muito ansiosa para conversar com vocês!

🙂

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

4 comentários… add one
  • Ana Emilia dez 20, 2018, 2:35 pm

    Sou leitora antiga, também pensei que o blog não fosse mais ser atualizado. Mas, ainda assim, sempre passava por aqui pra aprender alguma coisinha. Aprendi a fazer um bom strogonoff com sua receita passo a passo, e ela faz o maior sucesso aqui em casa (veja bem, quando recebo alguém rsrs, já que moro sozinha). Esse jeito de você explicar tim tim por tim tim me ajuda muito, mas muito mesmo, você não tem noção, parece que tira todas as minhas dúvidas. Que bom que voltou, fiquei contente em saber. E já li a “receita” do brigadeiro, mas acho que não quero testar por medo de comer tudo!! Abraço.

  • Karen dez 8, 2018, 10:48 pm

    Cheguei aqui por um resultado do Google que me levou ao seu post da canjica perfeita com receita minuciosamente detalhada. Vim procurar o que ia em uma canjica porque hoje me deu vontade de comer e já estava fazendo planos de ir ao mercado amanhã cedo comprar um saquinho do negócio. E então me peguei clicando no título do blog para ir à página inicial… e agora aqui estou, lendo o post pós canjica, de anos e anos atrás.
    A forma que você escreve me trouxe uma leitura reconfortante. Então se ler é assim, aposto que escrever, pra você, é melhor que terapia. Então volta pro blog, e aproveita a riqueza culinária da Europa pra te inspirar! ?

  • Brenda nov 30, 2018, 2:32 am

    Oi, eu sou leitora antiga e vim ver as novidades! Espero que esteja tudo bem! Foi nesse blog que eu aprendi a fazer macarrão! E molho quatro queijos! E muitas outras coisas. Meu início na cozinha foi através de vc! Hahaha no começo eu inclusive achava que seu nome era Socorro. Hehehe fico no aguardo de mais postagens. Um abraço!

  • Lara nov 22, 2018, 12:54 pm

    Leitora antiga. Aprendi a fazer strogonoff com vc 🙂
    Flambei na cara da sociedade rsrsrs

Leave a Comment