Hambúrguer Caseiro

Depois que eu escrevi o post sobre o que são as carnes de hambúrguer dos fast food (e as congeladas, na minha conclusão), nunca mais consegui comer uma de novo. Como consequência, comecei a conhecer um pouco mais sobre como fazer hambúrguer em casa. Sim, porque também não queria deixar de comer uma coisa que eu gosto e isso não faria o menor sentido, já que o verdadeiro hambúrguer é esse que eu como agora! Ora, bolas.

Fica tão mais gostoso quando é feito com carne de verdade, é tão simples de preparar, tão fácil, que não compreendo por que não tomei essa iniciativa há muito mais tempo.

Bem, isso são águas passadas e agora o que preciso fazer é convencer você a me seguir (se quiser aproveitar, siga também no Facebook e no Instagram). 😛

Vou dar a receita “pelada”, sem “frufru”. Aquela que você vai usar como base para criar seus hambúrgueres muito doidos, que todos os amigos vão comentar e te venerar. Lá no final, vou dar algumas ideias de outros ingredientes para você deixar seu hambúrguer mais incrível.

Receita de Hambúrguer Caseiro

Ingredientes:

– 5oo g de carne moída (é bom que seja uma carne com um pouco de gordura, porque senão você vai ter um hambúrguer pouco saboroso – e quem come hambúrguer não é uma pessoa focada no “light“, então nem me venha comentar que eu deveria dar conselhos mais saudáveis na receita. Embora a carne deva ter gordura, os cortes muito fibrosos não são legais para isso. Para não errar, use contrafilé, acém ou picanha. É bacana você comprar a peça inteira e pedir para moer na hora, se for possível. Também pode misturar mais de um tipo de corte, sem o menor problema. Ah, claro: você pode fazer hambúrguer de outro tipo de carne e também misturar entre elas, o que fica bem interessante também. A mistura de carne bovina e suína é super saborosa. Para fazer hambúrguer de carne suína ou de cordeiro, use a paleta, que tem gordura suficiente e não vai ter erro. O hambúrguer de frango fica mais gostoso quando a pele é moída junto, no mesmo raciocínio da carne com gordura. Como nunca fiz hambúrguer de frango em casa, não posso te dizer se você vai ter vontade de vomitar quando vir a pele moída junto, rs!)

– 1/2 cebola grande bem picadinha, quase moída (ou uma cebola pequena inteira. Se tiver um processador ou miniprocessador em casa, pode usá-lo em vez de picar com a faca, isso vai te deixar menos triste. Só não se esqueça de descascar, fora isso pode fazer qualquer mágica para picar a cebola. Mas ó: é quase moída, não é moída. Os pedaços são pequenininhos, mas são pedacinhos e não uma pasta. Pode usar mais ou menos cebola, como quiser.)

– 2 colheres (chá) rasas de sal (estou colocando mais ou menos a medida que eu uso, porque sei que você vai se perder com o “a gosto”, mas pode variar conforme o seu gosto, rsrs!)

– 1 colher (chá) rasa de pimenta do reino preta moída (mesma coisa do sal, você vai ter que ajustar essa medida para ficar do jeito que mais gostar.)

Modo de preparo:

Vamos começar pela panela?

O ideal é você usar uma frigideira grande e pesada, mas se não tiver, o que eu vou fazer? Não vai ser por isso que você não vai fazer seu hambúrguer. Use a guerreira mesmo.

Aliás, seria bem legal se você tivesse uma bistequeira na sua coleção de panelas (essa aí da foto). Ela é ótima para grelhar coisas, eu super uso a minha (que ganhei da Lekssa e tem esse cabo removível, que é muito prático). As bistequeiras têm essas “estrias”, que deixam a gordura escorrer e a mantém separada da carne.

Veja mais sobre a bistequeira no site da Lekssa

Veja mais sobre a bistequeira no site da Lekssa (link na foto).

Quando eu termino de preparar os hambúrgueres e preciso de um pouco de tempo para montar os pratos, deixo a panela no forno para eles se manterem aquecidos e de quebra ainda coloco um queijinho para derreter por cima. Como o cabo é removível, é só colocar a bistequeira lá dentro e desencaixá-lo, moleza. Depois coloco o cabo de novo e retiro a panela quente do forno com a maior facilidade. Sério, adoro essas praticidades.

Sua frigideira (ou bistequeira) precisa estar quente para colocar a carne. Para aquecê-la, use o fogo médio-alto e espere um minutinho. Quando encostar a carne no fundo, ela tem que fazer: “tsssssss”. (Também não é para deixar a frigideira no fogo um tempão antes de colocar a carne para testar, porque algumas delas podem estragar quando aquecidas demais sem nada dentro.)

“Mas Vanessa, a foto do post tem fogo! Posso fazer hambúrguer na churrasqueira?”

E como é que você vê nos filmes e desenhos animados americanos? Não é assim? 🙂

Esse é o maravilhoso “barbecue”, que eu comi durante meu intercâmbio na Virgínia. Diferente do nosso churrasco, mas uma especialidade americana que merece o nosso respeito.

Para grelhar a carne de hambúrguer na churrasqueira, o fogo deve ser forte mas não um incêndio que queime todas as carnes que estiverem lá (o tipo da observação que só se faz para iniciantes mas que é muito necessária). A grelha deve estar posicionada bem baixa, até 10 cm acima da fonte de calor (que seria o fogo, numa churrasqueira “normal”) – e não muito menos do que isso, acho que o limite seria uns 8 cm de altura.

O procedimento é o mesmo que na frigideira, então não vou voltar a falar de churrasqueira.

“Mas Vanessa, o fogo está passando pela carne na foto! É para fazer assim? Não é mais fácil jogar lá dentro da churrasqueira, de uma vez?”

Eu disse que não voltaria mais no assunto, mas vou quebrar seu galho. Se eventualmente o fogo subir, deve ser porque a chama gosta de dar uma lambida na gordura que escorre da carne. Nesse caso, tire uma foto para postar no seu Instagram (bem rápido, em 10 segundos no máximo) e certifique-se de que o fogo vai baixar de novo. Com a chama de volta ao normal, continue a grelhar e agir normalmente.

Agora vamos ao preparo do hambúrguer, finalmente!

Em um recipiente grande o suficiente para você poder mexer todos os ingredientes dentro dele, coloque a carne e os temperos.

Com as mãos limpas, sem anel, sem sujeira debaixo das unhas e sem band-aid no dedo, mexa tudo muito bem. Espalhe o sal e a pimenta direitinho, para temperar por igual a carne inteira. Só que tem um detalhe: procure fazer isso sem esmagar demais a carne, para ela não ficar igual a um purê e resultar num hambúrguer duro.

Depois de misturar, lave bem as mãos. Nunca deixe de lavar as mãos depois de manipular uma carne crua ou qualquer coisa que esteja e contato com ela.

Você sabe que a gente precisa experimentar a comida para acertar o sal, né? Só que com a carne crua isso fica complicado, porque realmente não temos 100% de certeza da procedência das carnes que compramos, né? Se você tiver coragem, experimente crua mesmo (que os mais certinhos do que eu não leiam este parêntesis, mas já comi muita carne crua e graças a Deus nunca tive nenhum problema por isso). Agora, existe uma maneira bem fácil de experimentar a carne de forma mais segura.

Bem, para isso, você vai ter que aquecer a frigideira. Acenda o fogo, espere um minutinho e coloque um pedaço pequeno da carne, que vai fazer aquele: “tsssssss”. Deixe ele grelhar (não sei o tempo que vai levar porque depende do tamanho do pedacinho que você lascou) e então experimente – só não se esqueça de desligar o fogo, se não for usar a frigideira logo depois.

Se achar que precisa ajustar o tempero e se depois quiser experimentar de novo, volte para o parágrafo anterior e só passe para o parágrafo abaixo quando a seguinte frase acender na sua mente: “já está bom!”.

Agora que sua carne está perfeita para virar hambúrguer, já é hora de começar a moldá-los.

Existe uma parafernália para modelar carne de hambúrguer por aí, mas eu acho muito desnecessário (a menos que vá fazer para vender, que é quando precisa padronizar e deixar tudo bonitinho). Qualquer criança de primário sabe modelar uma rodinha achatada, não precisa de molde.

O número de peças que a receita vai render, vai depender do tamanho de hambúrguer que você quer comer. Podem ser 3, 6, 8… Talvez sejam 7 e um miudinho, que ficou por último. Não tem muita frescura nisso, tem? Se quiser, você pode dividir a carne em bolas iguais antes de começar a modelar a carne.

Seus hambúrgueres também podem ser baixinhos ou altões. Os mais altos serão mais difíceis de acertar o ponto de cozimento, porque podem ficar muito mal passados no interior ou secos demais por fora. Recomendo que comece por hambúrgueres mais baixos até “pegar a manha” do cozimento! Só não faça tão baixos quanto os congelados, ok?

Quando for moldar um hambúrguer, procure não bater por cima dele ou amassar demais, pelo mesmo motivo que eu falei lá em cima. Se não deixar o bichinho com um pouco de espaço interno, fica duro!

Hambúrgueres moldados, chegou a hora de aquecer a frigideira.

Lembra que eu falei sobre ser grande? É porque ela não pode ficar cheia demais, senão a carne vai cozinhar na água e vez de grelhar e dourar. Sobre ser pesada, é porque essas são as que distribuem melhor o calor e permitem um cozimento uniforme do alimento (quando uma panela queima a comida bem no meio do fundo, é porque ela não distribuiu bem o calor, pode ter certeza).

O tempo de cozimento de cada lado varia conforme a altura do hambúrguer, mas a média é de uns 3 minutos de cada lado (para ficar ao ponto para mal passado) e mais 1 minuto (em cada lado) para alcançar cada estágio de cozimento acima: ao pontobem passado. O limite de tempo, seguindo esse cálculo, é de 10 minutos no total. Se passar muito, a carne vai ficar seca.

Ah! Para qualquer outro tipo de carne que não seja a bovina, o ponto é sempre o mesmo: bem passado!

Uma coisa que deve dar certo com você também: quando a carne solta do fundo da frigideira, é porque já pode ser virada. Experimenta na sua casa e depois me conta?

Agora, um erro muito cometido: não pode ficar apertando o hambúrguer com a espátula, como os chapeiros costumam fazer. Além de apertar a carne (você já sabe que não deve), também faz com que ela perca líquido e grude mais no fundo.

Uma coisa legal de fazer para dar um “tcham”, é espalhar um pouco de “sal marinho” sobre a carne antes de servir. Pode ser ainda na frigideira, quando estiver quase pronto. Esse sal é marinho, rs, como todos os outros, mas tem características físicas que fazem com que você sinta uma deliciosa explosão crocante de sabor na sua boca. Deram esse nome para ele, então procure pelo nome dado.

Hora de servir!

Há dois anos, escrevi um post ensinando a fazer hambúrguer (o “trash” mesmo, com a “carne” congelada) e dei umas dicas boas para você montar vários deles ao mesmo tempo, sem se enrolar e sem deixá-los esfriar antes de servir. Vale a pena dar uma conferida!

Se não quiser montar o hambúrguer com pão e tal, sirva no prato com salada, torrada, batatas assadas, fritas ou com o que quiser.

Agora vamos às sugestões de outros temperos, que eu prometi, mas a quantidade você é quem vai descobrir, tudo bem? Além disso, você também vai combinar esses temperos da forma que quiser, não precisa escolher um por vez. Misture à carne normalmente, como expliquei com os temperos mais básicos.

Dicas para temperar seu hambúrguer

– Cheiro verde, manjericão ou outra erva fresca picada que você achar que combine;

– Alho picado (como a cebola, bem picadinho);

– Shoyu (cuidado com a quantidade de sal, se for usar shoyu);

– Molho inglês;

– Barbecue, mostarda ou outro molho que gostar;

– Tabasco ou outro molho de pimenta (cuidado com a quantidade!);

– Queijo picado ou ralado, como cheddar, parmesão, gorgonzola (não use muito, meia xícara deve estar bom);

– Bacon picado (bacon faz mal, mas de ser gostoso ele entende);

– Calabresa picada ou pepperoni;

– Cogumelos secos (funghi secchi) ou frescos picados;

– Gengibre fresco (picado ou ralado) ou gengibre em pó;

– Wasabi (aquela raiz-forte japonesa, super picante);

– Temperos para carne em pó (já usei aquele “Meu Bife” e gostei);

– Sopa de cebola (em pó);

E por aí vai! Deixe a imaginação te levar e depois volte aqui para me dar a receita!

Para te dar uma forcinha, aqui estão as opções que eu já incorporei à receita base (uso sempre): alho, shoyu e molho inglês.

Bon Appétit!

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.

  • WWW

    KKK

  • Greguy passos

    Boa noite.
    Acabei de fazer alguns hambúrguers.
    Seguindo a risca…
    Ficou ótimo…

  • Norma Teixeira

    desculpe, qual o ingrediente que coloco para dar a liga? Obrigada

  • Roger T

    Já testei com creme de cebola na carne ainda crua. Fica ótimo também! Mas o creme de cebola é tão salgado que nem precisei colocar sal e ficou uma delícia.

  • Mariana Queiroz

    É muito legal esses textos descontraídos, mas acho que um texto desse tipo limita muito o público alvo. Aí cabe à dona do site analisar se isso a incomoda. Eu também vim até aqui procurando uma receita de hamburguer, desisti na metade e abri outro link só com a receita.

  • top!

  • Rodrigo Cesar

    Cristiano, para ser escroto desse jeito você fez um curso, é um dom ou apenas consequência de ser um solitário mal amado ???

  • Emanoel Fonteles

    Gosto muito do jeito que você escreve, me acabo de rir.

    Faço hambúguer com um pouco de cebola, pimenta, cominho e alecrim.

    Ficou com um gosto “rústico” por conta do alecrim. Muito bom!

  • ALCINA NASCIMENTO

    Gostei da dica e da receita ,vou fazer depois digo se ficou bom

  • Nadia

    Vanessa, achei seu post no google e simplesmente AMEI seu jeito de escrever. Como iniciante (mas nem tanto) na cozinha, vivo procurando ajuda nas receitas do dia-a-dia. Já estava querendo mesmo me livrar do hamburguer congelado e seu post só me encorajou!

  • Jairo the Cow

    Legal, você quer fazer um crítica construtiva e tal. Mas eu só estava querendo ler se alguém tinha feito a receita e deu certo. E não foi aqui que achei. Pena, né? Vou para outro comentário. Abraço e boa sorte!

  • Cristiano Sant’Ana

    Legal, você quer escrever um texto descontraído e tal. Mas eu só estava procurando por uma receita de hambúrguer. E não foi aqui que achei. Pena, né? Vou para outro site. Abraço e boa sorte!

  • Márcia Fabres

    Desde que não seja hidrogenada. A gordura animal comida com parcimônia é mais saudável! Basta não exagerar na quantidade e não comer hambúrguer todos os dias!

  • Melissa Almeida

    Eu preciso dizer, faço hamburguer em casa ao menos 2x por mês, tenho duas crianças que gostam de comer gostoso, eu por outro lado gosto de comer saudável, então prefiro tudo caseiro. Como minha memória é toda utilizada para o trabalho/casa/crianças me sobra pouca memória para receitas, então sempre que vou preparar os hamburgueres jogo sempre no google, abro umas 15 páginas de sites diferentes, porque nem do enderenço do último site que peguei a receita eu lembro rs, olho página por página e acabo sempre seguindo a sua receita, e sempre dá certo, e ficamos todos devidamente alimentados e satisfeitos, então muito obrigada!!!!!

  • Arnaldo de Castro

    come frio, claro.

  • Aline sabaini

    na hora de ponhar o hambúrguer para esquenta é no fogão forno ou microondas ou se come frio (por favor me respondam)
    ????

  • Celita Figueiredo

    Adorei, vou testar em casa pra vender em minha padaria, gostei mesmo do humor sarcástico, Abçs.

  • Ana Clara

    A cebola picadinha vai junto com sal pimenta e carne no preparo?

  • Igor Dantas

    Aconselho não misturar o sal com a carne no inicio.. Pois tira um pouco da suculência da carne! Coloca na hora de assar, por cima da carne.. Fica melhor!

  • Camilla Galvão

    Fiz e ficou maravilhoso!!! Todo mundo gostou, muito obrigada pela receita!!

  • Mario Barros

    devo colocar oleo na frigideira para untar?

  • Josimar Baldo

    dá certo fazer no grill elétrico??? fica bom???

  • veralucia

    Tem a opção de acrescentar gordura vegetal em vez de comprar uma carne gordurosa

  • cigarroecafe

    uma manteiga cai bem, só não exagere na quantidade. Uma colher rasa de sobremesa basta geralmente

  • Felipe

    Experimente temperar a carne com chimichurri.

    Fica demais.

  • Guilherme

    Olá.
    Parabéns pelo site e receita. Uma observação, de alguém que utiliza churrasqueira com muiiiiiiita frequencia: acho que 10 cm do fogo da churrasqueira é muito perto…. um bom braseiro pode ficar a 25 cm da carne sem problemas. Ela ficará bem passada e tostadinha por fora, pode acreditar. 10 cm vai queimar a carne…
    abs

  • Vade

    Tenho uma dúvida. Geralmente nas receitas básicas existe um componente que dá “liga”. Pode ser um ovo para cada quilo de carne, um pacote de creme de cebola “em pó” e até já ví miolo de um pao francês (50g). Na receita acima não vi o tal elemento, mas, acredito que deve ficar bom.

  • Maria Teresa Chiarotti Roel

    eu contumo juntar um gomo de calabreza, e um pedaço de bacon, mais a sopa de cebola ou creme de cebola. essa mesma receita da para fazer almondegas, faça bolinhas e coloque no molho, deixe cozinhar e esta pronto.

  • ricardo maeda

    Ficou realmente bom… da compra da carne ao preparo, fizemos conforme suas indicações. Obrigado!

  • Janaina

    To AMAAAAANNDO esse site. Sou um desastre na cozinha e a maioria dos stes e aplicativos ensinam a fazer coisas como borsch com creme azedo e fricassé de frango, o que eu não faço a mínima ideia do que é. Mas nenhum deles ensina a fazer carne moída e outras comidas básicas que ignorantes na cozinha como eu deveriam aprender aos 5 anos de idade com a avó. Parabéns pelo site, adorei!

  • Vania Sousa

    Precisa pôr azeite na frigideira?? Óleo? Manteiga?? Ou só a carne mesmo diretamente sobre a frigideira quente?

  • Mandy

    Oi, você tem alguma receita de bife à milanesa??

  • Jose Camargos da Silva

    Show de bola, vou fazer amanhã….Obrigado pelas dicas…

  • Maria Amelia

    Que máximo esse post. Você acertou na mosca. Meu marido é americano e moramos nos Estados Unidos. Apesar de muitos amigos nossos (americanos) comprarem hamburger congelado, TODOS me dizem que só o hamburger caseiro, feito em casa, é o autêntico. Em inglês diz-se: Homemade hamburger, is the REAL DEAL.

    Adivinha qual vai ser o meu jantar amanhã?