Como fazer Guacamole

Não sei como isso foi acontecer, mas a primeira vez que preparei um guacamole foi há poucas semanas, já em 2016. Sabe quando você adora uma coisa e nunca passou pela sua cabeça fazê-la em vez de ir comer no restaurante? Pois é, isso também acontece comigo.

O menino guacamole é um molho mexicano muito tradicional, que minhas papilas gustativas preferem chamar de salada e por isso o cérebro se confunde todo quando eu quero falar seu nome. De vez em quando sai “a guacamole“, mas aí eu corrijo logo para “o guacamole“.

Se você nunca comeu um guacamole, não sabe o que está perdendo. O principal ingrediente desse molho (que também podemos chamar de “dip“!) é o avocado, parente muito próximo do abacate, bastante parecido na aparência e no sabor, só que menor e mais concentrado. Eu sei que parece muito estranho para quem nunca comeu pratos salgados feitos com essa fruta. Os gringos também ficam cho-ca-dos quando chegam ao Brasil e encontram o abacate em preparos doces, o que comprova que estamos falando de uma fruta que se sai bem das duas formas. Os outros ingredientes que colorem o verde do guacamole combinam sabores frescos e picantes com a cremosidade do abacate. É uma criação genial dos amigos mexicanos, uma delícia muito fácil de preparar. Qualquer iniciante vai brilhar com ele.

Os ingredientes tradicionais do guacamole serão listados aqui abaixo, mas vou te ajudar a substituí-los, caso tenha dificuldade de encontrá-los. A verdade é que um guacamole com sabor bem equilibrado e feito com ingredientes frescos nunca vai deixar a desejar, pode confiar!

Receita de Guacamole

Ingredientes:

3 avocados maduros (o avocado é aquele tipo de abacate pequeno, que fica com a casca preta quando maduro – veja nas fotos do post. O avocado é mais gorduroso do que o abacate que estamos acostumados a consumir aqui no Brasil e seu guacamole vai ficar mais encorpado e sequinho feito com ele, se é que posso dizer assim. Se não conseguir encontrá-lo, use o abacate que já conhece, mas saiba que seu guacamole vai ficar menos cremoso e mais aguado, com direito a pocinhas. O sabor muda um pouco também, mas nada disso é tão importante a ponto de você desistir do seu guacamole porque não tem o avocado);

1 tomate médio (eu prefiro aqueles que não estão tão maduros, os menos vermelhos);

1 pimenta Serrano (também conhecida como Chile Verde ou Pimenta-Verde. Esta pimenta mexicana é verde e pode ter uma coloração variada entre amarelo, marrom e vermelho quando madura, mas você pode usá-la independente da cor. É a pimenta oficial do guacamole, mas na falta dela você também pode usar a Dedo-de-Moça, a Jalapeño ou qualquer outra pimenta que tiver aí. Se não souber o quanto picante é a pimenta que for usar, vá colocando bem aos pouquinhos na receita e provando, até chegar a um sabor vivo e gostoso. Se for sensível a pimenta, use apenas a metade ou menos ainda do que isso. Se preferir não usar, capriche mais em outros ingredientes, como o alho, a cebola e o pimentão. Outra coisa importante é que você precisa da pimenta fresca, como ela nasceu da natureza e não de um molho pronto!);

1/2 cebola grande (ou uma cebola pequena inteira. Pode ser nacional, importada, roxa… Qualquer uma!);

1/2 maço de coentro (talvez você se anime e use até mais do que isso, porque o coentro é um ingrediente muito especial nesta receita. Ele levanta o sabor do guacamole de um jeito incrível e traz um frescor que os odiadores de coentro irão se surpreender. Eu mesma não estou acostumada a usá-lo nos meus pratos, mas faço questão dele no meu guacamole. Se preferir, use salsinha no lugar, mas pode caprichar ainda mais na quantidade, porque o “verde” dela é mais fraquinho do que o “verde” do coentro – aliás, tem um post aqui sobre “cheiro-verde” que vai te ajudar na hora da compra);

1/2 dente de alho grande (ou um pequeno. Você poderá usar mais do que isso, mas tenha cautela porque o alho cru tem sabor bastante forte);

1/2 limão (é um pouco tentador não usar  o caldo de um limão inteiro, mas se exagerar na quantidade, pode acabar escondendo o sabor dos outros ingredientes. Deixe a outra metade para  final, para quando for acertar o tempero. O limão vai deixar a receita mais “ácida” e vai fazer você salivar assim que passar com o guacamole por baixo do nariz! Se o limão estiver seco, abra outro mais suculento);

1 colher (chá) de sal (para começar use esta medida, depois você ajusta conforme seu paladar);

1/2 colher (chá) de pimenta-do-reino moída (a mesma coisa do sal, depois você experimenta e vê se precisa de mais);

1/4 de xícara de pimentão picado (este ingrediente não é tradicional no guacamole, mas eu gosto muito de acrescentá-lo. Pode ser do vermelho, do verde ou os dois juntos. Não use se não quiser).

1 colher (sopa) de azeite extra-virgem (este também não é um ingrediente tradicional do guacamole, mas gosto mais do resultado quando uso ele).

Modo de preparo:

Esta receita é muito fácil e poderia ser dada em uma única frase: amasse a polpa do abacate com um garfo e misture todos os ingredientes muito bem picadinhos.

Acontece que tem mais umas coisinhas que eu quero falar:

É bom picar todos os ingredientes bem miudinhos para que eles se misturem muito bem na receita e para que ela fique bonitinha e caprichada.

Antes de picar o tomate, retire a polpa. Retire também as sementes da pimenta que vai usar (elas são picantes pra valer), limpando junto todo aquele branquinho que tem ao longo da pimenta por dentro. Lave muito bem as mãos em seguida e escove as unhas, porque o óleo da pimenta pode ficar na sua pele e fazer arder tudo que você tocar, especialmente os olhos e a própria pele. Dependendo da pimenta, isso pode ser bem doloroso.

Pimenta Serrano

Esta é a pimenta Serrano!

O alho pode ser picadinho ou espremido no espremedor de alho.

Você também pode dar um toque de praticidade e levar todos os ingredientes para um miniprocessador, se tiver, em vez de cortá-los com a faca (no liquidificador não dá certo, não inventa). Os pedaços não ficam exatamente uniformes, mas bons o suficiente. Se bater muito, pode virar uma papa, então vá com calma.

Falando em papa, você pode processar ou amassar no pilão: o sal, a pimenta-do-reino, o azeite, um pouco do coentro e da cebola. Com essa pasta, comece o preparo do guacamole, misturando-a com o avocado.

Ah, o avocado! Você só precisa lavá-lo (mesmo que não vá usar a casca), abrí-lo ao meio, retirar o caroço e então remover toda a polpa de dentro da casca com uma colher. Eu gosto de dar uma conferida nas partes da polpa que ficam logo abaixo da casca ou perto do caroço para ver se tem pontos pretos. Quando tem, tiro com uma colher.

Em uma vasilha, amasse a polpa do avocado com as costas de um garfo. Eu prefiro não amassar completamente, deixo uns pedaços para trás – faça como achar mais interessante. Se tiver feito aquela pasta com os temperos, comece misturando somente ela. Se não, siga em frente.

Junte todos os ingredientes picadinhos ao avocado, misture e experimente para ver se precisa de mais quantidade de algum deles. Siga seus instintos! O guacamole deve ser como eu falei: tem a cremosidade do avocado, a acidez do limão, o verde do coentro, a ardência da pimenta, com os temperos dos outros ingredientes e o sal levantando todos eles. Não deve ser um sabor discreto ou suave, tem que ser “tcham”!

Sirva com tortilhas de milho, com Doritos (tem outro dip gostoso para comer com ele, o dip de queijo cheddar picante), torradinhas, acompanhando pratos ou petiscos (combina muito com camarão) ou como sua imaginação mandar. Eu já fiz até tapioca com guacamole e, acredite, ficou bom! 🙂

Guacamole com torradas

Delícia com torradas!

Estou viciadinha nesta receita e já aprendi que não tem segredo para não escurecer o guacamole depois de pronto. Ele vai oxidando a partir da superfície e um filme plástico colado logo sobre ele pode ajudar, mas não vai fazer milagre. O limão também retarda um pouco o escurecimento, mas não vai evitá-lo. Bom mesmo é fazer e comer na hora.

Se estiver preparando uma festinha, vê se me convida na próxima deixe os ingredientes preparados e espere para abrir os avocados mais em cima da hora de servir. Aí é só misturar, você já sabe.

Parece que o guacamole deve ser servido em temperatura ambiente, mas eu não consigo evitar de querer que fique geladinho. Depois de pronto, deixo na geladeira por alguns minutos, só o suficiente para lavar as louças, arrumar a mesa e servir. Faça o teste e me diga como gosta mais!

Encontrei uma receita criativa para quem quer levar o guacamole a um nível mais gordo e delicioso. 😛

Bon Appétit!

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.