Angu

Antes que você torça esse narizinho para o meu angu, vou explicar por que estou falando dele.

Presta atenção: eu cresci num vale de mata atlântica nativa, com direito a cachoeira, horta, mina d’agua e vacas pastando na rua. Tinha até um “homem do saco” (não é aquele moço estranho que você viu na praia, é um velho que carrega um saco nas costas, onde dizem que ele leva as criancinhas). O nome dele era “Colega”. Disse um dia que ia subir a mata e não voltou mais.

Agora que você visualizou o meu cenário, acrescente a informação de que esse lugar fica em Minas Gerais.

Gosto muito de angu desde sempre e acho que deve ter bastante gente por aí que também aprecie essa delicinha que faz ficar fortinho (se comer muito fica mesmo).

Então vamos à receita do angu basicão, sem incrementos.

Receita de Angu

Ingredientes:

Fubá de milho (a metade da quantidade de água)

Água para cozinhar (o dobro da quantidade de fubá. Para um angu cremoso, use 4 vezes a quantidade de fubá)

Sal a gosto (eu costumo colocar logo uma colherzinha de sal, que vai muito bem na porção mínima de angu que eu faço, que é sempre usando em torno de 500 ml de água)

Caldo de frango, de legumes ou outro que você preferir (só se desejar usar um temperinho diferente, é opcional. Dissolva pelo menos meio tablete, conforme a quantidade de angu que estiver preparando)

Alho (a gosto, se desejar)

Modo de preparo:

Ferva a água com o sal e os outros temperos que quiser usar. Quando a água ferver, diminua para um fogo médio.

Vá acrescentando o fubá pouco a pouco, bem devagar e mexendo sempre para não empelotar. Eu disse “bem devagar” porque se você colocar muito logo de cara, pode ficar grosso demais bem rápido e também muito empelotado.

Mexa até que fique bem consistente e solte do fundo da panela (igual brigadeiro *-*)

Se por acaso você não seguir minha recomendação e empelotar muito, acrescente água para dissolver. Se precisar colocar muita água, é melhor que ela esteja quente.

O angu preparado assim vai endurecer conforme for esfriando e você vai poder virar de um prato para o outro igual pudim. Já o angu preparado com o dobro de água, vai ficar mais cremoso (eu prefiro assim mil vezes!).

Tem gente que gosta de colocar leite no final do cozimento. Tem também quem adicione um pouco de óleo ou manteiga na água ou no final do preparo, no último caso. Eu não faço assim, mas você pode experimentar se quiser.

Só um detalhe: esta receita não é do típico “angu mineiro”, que não é temperadinho assim, ele nem leva sal. Sinceramente, os mineiros são demais (obrigada) mas acho o angu sem sal graça.

Esse angu aí da foto é um “angu à baiana” que fiz outro dia, mas só que, em vez de miúdos, levou carne moída.

Bon Appétit!

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

50 comentários… add one

Leave a Comment