Espremedor de alho

Vira e mexe eu falo aqui que você precisa ter um espremedor de alho na sua cozinha. Vamos então entender um pouco mais sobre esse assunto e acabar logo com qualquer dúvida se ele é realmente necessário ou não.

Para começar, é preciso saber que diferentes ferramentas para quebrar alimentos produzem diferentes texturas e sabores. Isso é muito verdadeiro, especialmente quando falamos de alimentos “pungentes”. Você sabe o que é isso?

Sabe aquela ardência que você sente na boca ao comer alho e cebola crus? Ok, talvez você não tenha feito isso antes… Sabe o wasabi, aquela pasta verdinha que você conheceu comendo comida japonesa? E o gengibre? Eles dão um calorão quando os comemos crus, não dão? A mostarda, o agrião e a rúcula também ardem a boca, você já percebeu? Caso ainda não tenha identificado essa sensação aí nas suas memórias, vou dar mais uma dica: pimenta malagueta! Aposto que você já incendiou a boca alguma vez com ela (e eu já ensinei o que fazer quando a pimenta arder muito, aproveite o embalo e leia de uma vez).

A primeira vez que comemos alho cru, nos surpreendemos com esta sensação inesperada: ele arde a boca como pimenta. É a pungência. 🙂

Isso acontece porque quando as células de um dente de alho são quebradas com a mastigação (ou quando fatiamos, cortamos, esprememos), uma enzima que estava lá quietinha dentro delas (a alinase, se interessar saber) e um outro composto químico também presente nas células do alho (aliina – para os estudantes de química: o precursor) se libertam, se encontram e reagem para formar aqueles que são os principais compostos odoríferos e aromatizantes, os responsáveis pelo gosto acentuado que nós conhecemos muito bem. Resumindo em palavras mais fáceis: quando corta a coisa fede. Com a cebola a história é bem parecida.

Quanto mais o alho é cortado ou esmagado, mais células se rompem, mais reações químicas acontecem e mais sentimos o aroma e o sabor característicos. Por isso é que você deve sempre seguir as recomendações a respeito do preparo do alho para um prato, para dosar a quantidade certa do seu sabor. Conforme for a maneira de prepará-lo, mais ou menos presente vai estar o alho no prato. Cortado em lâminas e depois lavado em água será menos pungente do que uma pasta de alho feita no pilão, por exemplo.

Esses compostos que se formam são muito voláteis, o que significa que têm uma tendência a saírem “voando” pelo ar. Essa característica faz com que o alho, depois de picado, amassado ou espremido, perca gradativamente seu aroma e sabor. Claro que isso não vai chegar a acontecer se você colocar um dente de alho na boca, mastigar e engolir, porque não vai dar tempo! Essa é, aliás, a maneira mais garantida de degustar um alho com toda a sua capacidade de ser pungente. Se alguém torcer o nariz para o seu hálito depois, já sabe que a culpa é dos compostos voláteis que ficaram na sua boca.

Que isso, Vanessa, é mesmo? Então quer dizer que se eu não partir o alho ele não tem cheiro?

Isso mesmo. Você quase não percebe o aroma até que faça qualquer corte ou machucado nele, ainda que seja um amassadinho com a unha. Vá até a cozinha conferir, eu te espero. 🙂

Ah tá. Então se eu espremer o alho e guardar para usar durante a semana ele vai ficar meio sem gosto?

Isso mesmo.

Mas e se eu colocar bastante azeite ou óleo nele? Isso não bloqueia a fuga dos compostos voláteis? Aí eu posso conservar o alho na geladeira! Eu sou um gênio!

Seria, se não fosse o risco da toxina botulínica. Isso é assunto para um post novo, mas aqui vai um aviso: não faça conservas sem conhecimento da técnica, porque existe uma bactéria letal chamada Clostridium botulinum que precisa exatamente disso para viver: um ambiente úmido e sem ar (anaeróbio). A umidade presente no alho, associada ao isolamento do ar causado pelo óleo são o ambiente perfeito para essa bactéria se desenvolver e produzir a toxina botulínica, caso o alimento esteja contaminado.

Vixxxx… Então só me resta o alho pronto do mercado! Ele deve ser protegido dessa bactéria aí, né não?

Sim, o alho pronto industrializado é conservado através de acidificação e conservação química, normalmente adicionando ácido cítrico e sorbato de potássio (olhe lá nos ingredientes). Agora, o que te resta mesmo é tomar vergonha e comprar um espremedor de alho, que vai deixar sua vida um pouco mais fácil e sua comida mais saborosa.

O tempero de alho pronto nunca chegará perto do sabor do alho fresco e você já sabe por quê. Por mais que a indústria tente, o sabor  é incomparável. Ok, quando sua preguiça ou urgência for maior do que a sua vontade de caprichar no prato, renda-se ao industrializado. Eu também faço isso de vez em quando (mas beeem de vez em quando mesmo).

Pronto, cheguei onde queria!

O espremedor de alho

O espremedor de alho é um utensílio muito útil nas cozinhas caseiras, onde precisamos de quantidades mais ou menos pequenas para temperar nossas comidas. Como ele esmaga o alho, permite que se produza muitos daqueles compostos que dão sabor ao prato. Como o objetivo costuma ser realmente temperar, o método é perfeito.

Lembrando que algumas receitas que você virá a preparar na vida poderão pedir alho fatiado, cortadinho, apenas meio amassados ou até inteiros. Não teime, faça como estiver escrito.

Quase tudo que sai do meu fogão começa com cebola e alho sendo refogados, por isso uso meu espremedor com muita frequência. Investi uma graninha nele, porque detesto espremedor de alho sujo e queria um modelo que fosse fácil de apertar e de limpar.

A propósito, você sabe como usar um espremedor de alho? É tão simples que cabe em uma frase: coloque um ou dois dentes de alho dentro do compartimento onde tem os furinhos, feche juntando os cabos e aperte. Ele vai sair espremido pelos furos, então faça isso sobre um pratinho ou outro recipiente. Depois é só raspar os pedacinhos que ficarem pendurados e repetir o processo com quantos dentes de alho precisar.

Ih, a produção acabou de me informar que eu escrevi três frases. Sorry!

Você pode encontrar espremedores de alho com preços muito variados, de R$ 10,00 a R$ 200,00! Da mesma forma, varia muito a qualidade dos produtos.

Quantidade de funções não quer dizer nada. Os espremedores mais baratos servem para mais coisas do que você imagina, mas podem exigir muita força nas mãos e paciência para limpar.

Funções do espremedor de alho popular

Este tipo você encontra em qualquer supermercado ou armarinho.

Alguns modelos mais modernos têm sistemas de alavancas diferenciados, que fazem com que não seja necessário quase nenhum esforço para espremer um alho. Uma maravilha para quem tem mãos frágeis (não é frescura, tem gente que não tem força nas mãos mesmo).

De tão fáceis de apertar, com eles você até pode espremer o alho com casca e tudo (apenas cortando a parte durinha da ponta, que fica presa às raízes do bulbo ou cabeça). Particularmente, não faço isso porque acho que acaba desperdiçando um pouco do alho entre as cascas, embora fique seco de tão bem espremido.

Ah, uma curiosidade muito legal é que você também pode espremer gengibre neles! 🙂

Algumas marcas se compadeceram de nós e criaram modelos realmente fáceis de lavar. O meu levanta o compartimento onde o alho é espremido, acho isso bom o suficiente. Ele é da marca suíça Kuhn Rikon, igualzinho a este (só que verde!):

Espremedor de alho Kuhn Rikon

Não encontrei em nenhuma loja, mas o legal é saber que espremedores que levantam essa peça aí são chuchu beleza.

Este modelo da Joseph & Joseph é completamente desmontável, olha que legal!

Espremedor de alho desmontável Joseph Joseph

Tem uns muito invocados, que você pode até trocar as peças e, além de espremer, dá para fatiar e picar o alho!

Espremedor de alho com peças para trocar

Tem no Magazine Luiza, link na foto.

Se você quer espremer uma porção de dentes de alho de uma vez, criaram um tipo de espremedor interessante, mas que nunca usei e não sei se é fácil de girar a manivela e de limpar. Outra coisa legal nele é que esse recipiente é hermético (não entra ar), então você pode deixar uns dentes de alho descascados lá dentro (e na geladeira) para a próxima vez que for precisar! Parece interessante.

Espremedor de alho com recipiente hermético

Tem no Shoptime, link na foto.

De uns anos para cá, apareceram no mercado outras opções de trituradores de alho – que são diferentes dos espremedores, mas muitas pessoas usam com o mesmo objetivo. Tem esse carrinho, que já vi usarem e pareceu ser bem prático.

Triturador de alho de carrinho

Tem no Portal do Cozinheiro, link na foto.

Tem esses que você encaixa o alho no meio de duas peças redondas e gira elas para lá e para cá. Ganhei um de plástico e achei ele mais difícil de usar do que o espremedor, então não curti muito não. Sem contar que parece que o alho fica mastigado. A Ana Maria Braga gostou:

Também comprei um desses raladores e fatiadores de alho, que não se propõem a substituir o espremedor, mas vou aproveitar e dizer que não gostei, porque o meu não corta nada.

Ralador e fatiador de alho

Se você tiver um miniprocessador em casa, é legal usar quando a quantidade de alho for mesmo grande. Eu faço isso de vez em quando, mas confesso que gosto mais do alho espremido no espremedor quando é para usar no tempero do prato. Um corta e o outro amassa, isso realmente faz diferença.

Para mim, o bom e velho espremedor é insubstituível! Por isso eu digo sempre: se ainda não tiver um, compra logo, vai!

PS: Tem um jeitinho seguro de conservar seu alho caseiro. Prepare a quantidade necessária para dois ou três dias de consumo e cubra com suco de limão (do limão espremido, não é limonada!) ou vinagre. Depois cubra com azeite ou óleo e guarde na geladeira.

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.