Traças na despensa

Como foi o seu feriado? O meu “foi o bicho”! Mais precisamente esse aí da foto.

Todo o feriado, todinho ele, dedicado ao extermínio desse bonitinho.

Trata-se de uma “traça de cereais” (Plodia interpunctella), que gosta de quase tudo que você guarda na sua despensa: feijão, trigo, milho, vários produtos farináceos, soja, amendoim, nozes, frutas secas, chocolates e até rações para animais. Reparei que aqui em casa ela só não gostou mesmo foi do macarrão de letrinhas. Não gosta de estudar.

A história deve ter sido assim:

Lá vinha Vanessa feliz e contente do supermercado. As sacolas tinham pelo menos 10 sacos de farinha e mais vários produtos repetidos que estavam com um preço imperdível, realmente valia a pena estocar.

Crente que era esperta, Vanessa vinha pela calçada com a alegria de quem tem ingredientes para fazer 30 bolos pelo preço de 10, sem saber que o que carregava era algum pacote com o ovo da tal traça de cereais. Ou talvez um pacote com vários ovos. Quem sabe até vários pacotes com inúmeros ovos.

Chegando em casa, mais do que depressa, Vanessa guardou suas compras em sua “microdespensa”. Um lugar não tão ventilado quanto deveria ser.

Do ovo saiu uma larva, que comeu, comeu, comeu o que quis e então escolheu um cantinho bem acolhedor dentro do pacote para tecer seu casulo. Ficou por ali um tempo e, quando estava pronta para ser mariposa e brilhar na vida, lá foi ela voando pelo armário, pela cozinha, pela sala… Tomou uns tapas amigáveis mas conseguiu voltar sã e salva para colocar entre 100 e 500 ovos. Deles saíram mais larvas, que também fizeram seus casulos dentro e fora dos pacotes e a despensa de Vanessa ficava cada vez mais cheia. Algumas larvas mais aventureiras migraram para outras partes do armário, onde encontraram fotografias, DVDs, CDs e muitos papéis igualmente interessantes. (Ou talvez tenha sido a fêmea voadora que tenha encontrado esse mundo paralelo, não se sabe ao certo.)

Um belo dia, Vanessa foi usar um chocolate em pó para fazer uma deliciosa sobremesa e viu que o pacote estava parecendo uma peneira, cheio de furinhos. Como já havia visto outros tipos de pragas em outras despensas na sua vida (ela só tem sua própria despensa há 1 ano), correu para ver como estavam as coisas por lá.

Qual foi sua surpresa quando percebeu que havia muitos bichinhos voadores e restos de alimentos pelas prateleiras. Logo viu que havia se dado mal, mas não estava ainda entendendo o quanto.

Era véspera de feriado prolongado e Vanessa percebeu que todo o armário estava verdadeiramente ocupado por aqueles bichos. Sem saber o que fazer, recorreu ao guru Google e leu um pouco sobre como proceder nessas horas desagradáveis da vida independente de uma jovem de 27 anos, louca para “ficar de bobeira” no feriado prolongado.

Jogou algumas coisas fora e, diante do tamanho do problema, foi dormir quase chorando. Não era só pelas crianças da África, mas sua própria subsistência.

No dia seguinte, a loja de coisas baratas para casa abriu com sua primeira cliente procurando potes, potes, muitos potes de vidro (já que a por*a do bicho comeu até pote de plástico).

Pela mesma calçada, mas desta vez nada feliz, lá vinha Vanessa e suas sacolas.

Após jogar quase todas as suas últimas comprinhas ótimas e várias preciosidades guardadas a sete chaves direto no lixo, passou o pouco que considerou “limpo” para dentro dos potes de vidro.

Aí começava a acabar seu feriado, enquanto folheava albinho por albinho procurando casulos entre as fotos de família, abria as capas de dezenas de CDs antigos para checar entre as páginas e via detalhadamente cada mínima coisa que poderia ter sido atacada. Quando uma mariposa se aproximava, ela dava era chinelada.

A casa cheirava a cravo e louro, já que juravam pela internet serem infalíveis contra essas traças. Parecia despachos por toda a casa, até dentro dos sapatos tinha cravo e louro.

Sem querer voltar com tudo para o armário e sem ter onde guardar aquelas coisas todas, Vanessa quebrou seu porquinho (era fim de mês) e foi até a loja do Merlin comprar uma estante barata, onde colocaria tudo que restou do ataque das traças malditas.

Se tivesse parado por aí, a história já estaria de bom tamanho. Porém, Vanessa era uma “inventadora” de moda e, não satisfeita com todo o trabalho que já tivera, olhou para aquele armário nojento e disse: “vou pintar você de branco”.

A real história é que, num ato de insanidade mental, a “dedetizadora natural da Tijuca” borrifou álcool com cravos (uma manipulação que achou interessante) dentro do armário de madeira de seu apartamento alugado. Ficou linda a mancha Expressionista. Uma verdadeira arte do instinto, uma marca dramática, a expressão do mais puro sentimento humano.

E aí que, depois de ter virado noites de seu feriado e passado todo ele dentro de casa limpando, limpando, estocando, limpando, dando chinelada e limpando, Vanessa começou a pintar, pintar e pintar.

A história ainda não acabou. Atualmente ela ainda está pintando o móvel de branco, na esperança de que a nova cor limpe seu passado e não agrade tanto possíveis larvas oriundas do mercado. Quem sabe elas não se deprimem com todas as paredes brancas e resolvem tecer seu casulo num local mais acolhedor? Tipo a casa do vizinho?

Não se viu mais mariposas, mas não se sabe se ainda tem larvas ou casulos dentro dos potes ou nos outros objetos que ainda estão pela casa. O fato é que os potes irão aprisionar os bichos, se resolverem “desabrochar” de lá de dentro e que, caso ainda tenha casulos pela casa, as futuras mariposas terão que buscar onde colocar seus ovos em outra vizinhança, porque ali não há mais nada de se comer fora de vidros (e da geladeira).

Moral da história:

Como combater (prevenir e controlar) traças de cereais

Nunca menospreze nenhum bichinho voador na sua casa. Apresse-se para a despensa e veja se tem farelos pela prateleira e se os pacotes estão furados. Jogue tudo que tiver furo no lixo. Se tiver dúvida, escolha por jogar fora. Desconfie de tudo! A larva pode estar escondidinha dentro de um grão.

Escolha também potes de vidro para armazenar os alimentos, sempre que possível. As traças preferem as sacarias, tente ficar livre delas.

Limpe sua despensa pelo menos uma vez por mês e, por via das dúvidas, faça um sachê com cravos e louros (com um retalhozinho, por exemplo) ou faça como eu, no melhor “estilo despacho”.

Limpe sua despensa com um pouco de água sanitária diluída em água. É só molhar um paninho e ir limpando.

Fique de olho no que compra no supermercado. Na maioria das vezes você não vai saber que comprou um alimento que já tem ovo dentro, mas se puder evitar de levar pacotes furados já é um grande adianto. Um mínimo furinho já é um grande indicativo.

Tirei várias fotos de tudo isso que narrei mas achei que seria muito desagradável colocar tanta coisa nojenta neste querido blog de culinária. Sendo assim, aqui vai um link e mais outro para você se informar um pouco melhor sobre o assunto.

Use esses links para saber também sobre outros tipos de pragas de alimentos armazenados, porque essa que apareceu na minha casa não é a única que ataca alimentos!

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.

  • Todas as vezes que comprar algum grão, feijão, farináceo, especiaria (…) leve para o freezer por 3 dias (isso não vai alterar em nada o alimento e vai garantir que nenhum ovo vire larva). Depois armazene tudo em potes de vidro. Aqui em casa, para não gastar uma fortuna em potes, passei a guardar em garrafas dessas de suco de uva (é até bem prático na hora de medir). Depois disso nunca mais tive problema nenhum com esses bichinhos, e olha que eu estoco tudo! Um grupo no Facebook de reaproveitamento de vidros me ajudou muito nessa saga também, principalmente pq sou a louca das especiarias e temperos, então sofri pra arrumar frasco pra todos rs

  • Nath ௹

    Adorei! Só não gostei mesmo é que estou passando pelo mesmo problema 🙁 Que dó de jogar tudo isso fora! Também vou fazer um despacho hoje aqui! grrrrr