Como esterilizar potes e garrafas de vidro

Os potes e garrafas de vidro estão na moda e você já teve tempo para notar isso, porque não é de hoje. Há dois anos eu escrevi um post sobre como reutilizar embalagens de vidro e, de lá pra cá, eles foram ganhando cada vez mais espaço nas cozinhas, nas despensas e especialmente nas festas.

Acho a tendência incrível, principalmente por ser ecologicamente correto. Eu mesma reutilizo muitos potes e garrafas de vidro na minha casa e sou dessas que levam em conta a embalagem na hora de escolher os produtos no supermercado, já de olho no que vou fazer com ela depois. A única coisa que me parece estar faltando nesta moda é o preparo correto dos recipientes para que conservem adequadamente os alimentos. Não basta lavar, esfregar, lustrar, secar ao vento ou rezar uma Ave Maria. O vidro precisa ser esterilizado, para que não contamine o alimento. A proliferação de bactérias pode acelerar o processo de decomposição da comida e, fora isso, oferece risco de contaminação para quem ingere.

“Mas Vanessa, isso não é muita neurose?”

Se você entender que não estou falando de uma conservação comum de alimentos, vai ver que não.

Você sabe que os alimentos estragam (né?), uns mais rápido, outros menos. Os grãos que consumimos chegam às nossas despensas secos, porque passam por um processo de secagem, justamente para durarem mais. O leite é pasteurizado e o milho enlatado, assim como o bacalhau é salgado e frutas são cristalizadas com açúcar. Tudo isso é feito para que esses alimentos mantenham a qualidade por mais tempo, adiando um pouco o processo de deterioração. As conservas também são uma forma de conservação (dã!) e algumas medidas precisam ser tomadas para que enzimas naturais do alimento e micro-organismos “intrusos” não causem alterações, que podem ser o apodrecimento e até a contaminação da pobre pessoa que ingere as toxinas produzidas ali. Uma dessas medidas é a esterilização do recipiente onde vai ser feita a conserva (ou compota, como quiser).

“Mas Vanessa, eu nem sei fazer feijão, por que eu preciso saber dessas coisas? Nem daqui a 40 anos eu vou fazer uma compota de doce.”

Nunca se sabe. Eu já pensei duas vezes antes de comprar uma conserva artesanal, por exemplo (acredite, nem todo mundo faz como deveria e já levei doce de leite azedo para casa).  Portanto, é útil você saber a forma correta de esterilizar potes e garrafas de vidro, para quando precisar. Talvez você até se anime e comece a guardar aquele potinho lindo de geleia para presentear os amigos com um quitute seu! 🙂

Ah, escolha potes herméticos (aqueles que vedam mesmo, que não deixam o ar entrar de jeito nenhum) para fazer conservas de longo prazo.

Como esterilizar recipientes de vidro e tampas

Independente da forma que escolher para esterilizar seus potes e garrafas, retire os rótulos daqueles que estiverem sendo reaproveitados (reciclados) e lave muito bem com detergente e água quente, prestando atenção nos cantinhos internos e na rosca da tampa, que podem ter uma sujeirinha mais difícil de soltar. Se não tiver água aquecida na pia, esquente em uma panela.  Verifique também se não há rachaduras nos vidros ou ferrugens nas tampas metálicas. Caso encontre, é melhor descartar. Não se esqueça de enxaguar bem para remover todo o detergente.

Deixe escorrer sobre uma superfície forrada com papel-toalha ou um pano de algodão muito limpo (isto aqui abre margem para que alguém julgue um pano “mei limpo” como limpíssimo, por isso recomendo mesmo o papel-toalha). Também é possível usar um escorredor de louças, mas ele teria que estar livre de bactérias e isso pode dar bastante trabalho (talvez esterilizar o escorredor no forno seja uma boa opção – se for de um material resistente ao calor, obviamente! Depois não pode ter contato com nada que não esteja igualmente estéril).

Para esterilizar frascos de vidro em água quente

Use um pano de algodão limpo (mas limpo mesmo, zerinho se for possível) para forrar o fundo de uma panela. Disponha os potes sobre ele e cubra completamente com água. Deixe ferver por 10 minutos.

Antes que você me pergunte, a função do pano é proteger os potes do contato com o fundo da panela. Você também pode usar um outro pano entre os vidros para separá-los e evitar que se choquem ao se agitarem com a fervura. Outra coisa importante é você saber que nunca deve colocar os vidros frios na água já fervente, porque eles podem rachar com o choque térmico.

Retire os potes com a ajuda de uma pinça de cozinha (não é a de sobrancelha, é uma pinça grande, de uso culinário) ou outro pegador que você tenha e deixe que escorram sobre papel-toalha. Tenha muito cuidado para não se queimar com a água quente!

A água que ficar acumulada dentro do pote enquanto ele escorre pode ser facilmente eliminada por você, usando a pinça para virar o recipiente e deixar a água cair. Mesmo que pareça tentador, não use o pano de prato para enxugar, porque ele pode carregar sujeira para o vidro que você acabou de esterilizar. A mesma coisa para o manuseio com as mãos: certifique-se de que está com elas bem limpas para pegar nos potes depois de esterilizados.

Faça o mesmo procedimento com as tampas, mas não precisa deixá-las fervendo por tanto tempo, pode ser por apenas 5 minutos.

Para esterilizar frascos de vidro no forno

Arrume os potes e tampas sobre uma assadeira, com a boca para cima. Leve para secar em forno baixo (a 110°C), por cerca de dez minutos. A temperatura não pode ser mais alta porque nem todo vidro vai resistir ao calor intenso, podendo rachar.

Caso vá preencher o pote ou garrafa com algo muito quente, como um doce em calda, encha o recipiente enquanto ainda estiver quente, para evitar um choque térmico. Se for guardar um alimento frio, deixe que o vidro também esfrie.

 

É bom lembrar que esses métodos também podem ser usados para esterilizar outros recipientes, como as mamadeiras de vidro. 🙂

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.