Sexta-feira Santa, por que comemos bacalhau?

Levante a mão quem sabe mesmo por que come bacalhau, desde criança, toda Sexta-feira Santa!

(Ou “Sexta-feira da Paixão”. Para quem não se localizou no calendário, é aquela sexta antes do Domingo de Páscoa que, por sua vez, é o dia de ganhar ovos de chocolate!)

Aposto que a grande maioria pensou: “É porque não pode comer carne”.

Com certeza, dessa maioria, muita gente ainda se perguntou: “Se bem que… Peixe não é carne?”.

Outros tantos apareceram com mais uma dúvida: “E por que é o bacalhau? Não pode ser qualquer peixe?”.

Vim aqui acabar de uma vez por todas com essas dúvidas e, antes que você pense que estou saindo do propósito deste blog, vou explicar como esse tema tem tudo a ver com o Socorro na Cozinha!

Imagine, por exemplo, que  você vai receber uma visita muito especial em plena Sexta-feira da Paixão. Pode ser os pais da namorada (ou namorado), que irão te conhecer finalmente – para ficar mais assustador. Eles são bastante religiosos e estão certos de que você é um bom rapaz (ou moça), segundo seus princípios. Consequentemente, pensam que você sabe o mínimo das tradições da Igreja Católica que, além de ser a religião deles, é predominante no nosso país.

Você, com toda a sua boa vontade, aprendeu a cozinhar um belo macarrão aqui no blog e preparou aquele suculento molho à bolonhesa para arrebentar no almoço! Arrumou uma mesa incrível para valorizar seu macarrãozinho e ainda fez uma deliciosa mousse de limão para a sobremesa. Tudo sem a ajuda de ninguém (só minha!). Que orgulho, hein?!

O final da história acontece no restaurante mais próximo e você brincando de avestruz, tentando alcançar o centro da Terra com a cabeça.

Veja bem, quando recebemos visitas não podemos cometer essas gafes! Inclusive, é sempre bom se informar, antes, se as pessoas que vai receber têm algum tipo de restrição alimentar. Alguém pode ser diabético, vegetariano etc.

Enfim, vou esclarecer essa história toda de bacalhau na Sexta-feira Santa para você entender e se planejar com antecedência, se for o caso! Por ser uma data religiosa, não tem como fugir das explicações bíblicas. Vá até o fim que vale a pena aprender!

A Igreja Católica tem muitas tradições, não é verdade? Na Idade Média, as coisas eram bem mais rigorosas. Os fiéis não podiam comer carnes durante toda a Quaresma (além de sextas-feiras e muitas outras datas do calendário Cristão), que é o período de 46 dias corridos que antecedem o Domingo de Páscoa (quando se comemora a Ressurreição de Cristo). Esses dias começam a ser contados a partir da Quarta-feira de Cinzas, que dispensa apresentações, né?

A Igreja já perdeu muito desse rigor mas a Sexta-feira Santa continua sendo o dia da Paixão e Morte de Cristo – quando Ele foi torturado e carregou a Cruz em que foi crucificado. Por isso, ainda obriga seus fiéis a se absterem da carne em sinal de respeito à sua morte.

A “carne” em questão é aquela de animais de sangue quente, que são aves e mamíferos (então inclui o frango, a carne de porco e de vaca). Também contam os caldos de carne, já pensou nisso? Porém, ovos, laticínios e gordura estão liberados. As grávidas que precisam de uma alimentação especial por recomendação médica, estão dispensadas da abstinência, assim como os pobres que recebem a carne de esmola!

O peixe é um animal de sangue frio, por isso que não está na lista de carnes proibidas! 🙂

Como você já entendeu, o prato principal no almoço da Sexta-feira da Paixão não precisa ser, necessariamente, o bacalhau! Mas, porém, então, todavia, contudo, aqui no Brasil, principalmente na Região Sudeste, é ele que domina soberano a nossa mesa.

Ora, pois! Isso se deve às heranças portuguesas!

Os portugueses (também católicos, você sabe) adoravam um belo de um bacalhau e o consumiam muito, especialmente nos dias de abstinência da carne. A Corte veio para as bandas de cá, os comerciantes também, e o famoso “bacaláo” caiu na graça do brasileiro. Passaram-se muitos anos e ele virou uma tradição nossa também.

Tudo esclarecido?

Ainda não. Falta você saber que bacalhau não é uma espécie de peixe!

Óóóóóóóó… – reage surpresa a multidão.

Bacalhau é o resultado do precesso de salga (colocam muito sal nele) e secagem do peixe. No Brasil, encontramos 5 espécies de peixes salgados e secos (ou seja, “peixes que viraram bacalhau”): Cod Gadus Morhua, Cod Gadus Macrocephalus, Saithe, Ling e Zarbo.

Parece que estão tentando aprovar uma lei aqui que determina que apenas os peixes Cod Gadus MorhuaCod Gadus Macrocephalus poderão receber o nome “Bacalhau”. Os demais, passarão a ser chamados de “pescado salgado e seco” (tadinhos). Achei interessante, vai ajudar o consumidor na hora da compra e eu não vou ter que ficar pedindo pelo amor de Deus que você compre um bom bacalhau, que não se deixe levar pelo preço etc. Se disser “compre Bacalhau”, você vai na mosca!

Agora sim, você está por dentro de tudo!

Então vou providenciar uma receita especial para sua Sexta-feira Santa!

Obs.: Se eu tiver falado alguma besteira aqui, por favor me corrijam.

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Comments on this entry are closed.

  • Peterson

    Apesar deste artigo já ter um certo tempo acredito que ainda vale pena corrigir alguns erros, como solicitado pela autora.
    Em primeiro lugar Pais Católicos não fariam visitas para almoçar neste dia, pois a Sexta-feira da Paixão é um dia de Jejum e Oração e não somente de abstinência de carne.
    O jejum e abstinência de carne se fazem para que nos lembremos de mortificar os nossos sentidos, orientando-os particularmente ao sincero arrependimento e emenda de nossos pecados. É para entendermos que temos controle sobre os nossos desejos e que somos capazes de lutar contra os nossos pecados.
    Substituir a carne por uma iguaria como o bacalhau, faz perder todo sentido desta data. Devemos neste dia fazer o jejum comendo de maneira moderara, comidas simples e deixa r para saborear o bacalhau ou qualquer outro prato que lhe agrade no Domingo de Páscoa em um almoço com a família.
    Espero ter ajudado ter contribuído com estas informações.

    Cordialmente,
    Peterson Pietro

  • Pingback: Bacalhau na Sexta-feira Santa, versão infantil « Socorro na cozinha!()

  • Raquel

    Oi menina! Nem sei se você lembra de mim, eu comentei que ia casar na receita da farofa com ovos…
    Bom, eu IA casar em janeiro, mas a construção da casa tá mais lerda que tartaruga e ainda não ficou pronta, acredita? Mas o casório sai, mais cedo ou mais tarde! Estou torcendo pra casa ficar pronta no final de abril!
    Enquanto isso vou acompanhando o blog, nunca cozinhei antes, mas do jeito que você explica eu fico com uma confiança que vai no céu, doida pra esfregar macarrões a bolonhesa e um mooonte de coisa gostosa na cara de todo mundo! Haha brincadeira 😛

    Beijos mil e obrigada pelo blog maravilhoso!

  • Socorro na Cozinha!

    Nossa, que chique!
    Vou adorar!!
    Um beijão!
    😉

  • Vanessa, estou louco por um hadoque com arroz negro nesta sexta-feira santa. Comi no ano novo e estava delicioso. Vamos ver se desta vez vão me dar a receita, daí eu te passo depois, ok? Beijo grande!

Anterior:

Próximo: