Arroz piamontese, piamontesa, piemontese?…

Me conta aqui, mas fala a verdade!

Quando você pronuncia o nome desse arroz, você fala com total segurança ou manda um “piaemontesea”, pra servir conforme quem ouve?

Esse nominho varia de boca para boca, você já deve ter reparado. “Arroz à piamontêsa”, “arroz à piamontése”, “arroz à piamontéssi” … Fica complicado descobrir qual é o jeito certo.

Bem, primeiro é preciso saber que esse arroz é uma criação brasileira, não é um prato da região de Piemonte, na Itália – ao contrário do que dizem por aí. Digamos assim que ele seja uma “imitação de risoto”, preparada com o arroz branco de todas as mesas dos brasileiros. Uma adaptação que leva ingredientes comuns na nossa culinária, que fazem com que o arroz fique cremoso como um risoto (parecido, só). Como homenagem, entre outras possibilidades, escolheram a região do Piemonte para batizar a receita tupiniquim metida a italiana.

Nessas condições, o nome acabou ganhando muitas variações. A única que não vingou é “arroz piemontês”, que seria o mais lógico, no puro Português. “O arroz do Piemonte” foi tão bem “vendido” como receita italiana, que muitos de nós, brasileiros, ficamos confusos e também sem jeito na hora de falar o nome dele, por acreditarmos ser de outro idioma. Estou me incluindo no grupo porque fiz parte dele até o dia em que descobri que o arroz é tão brasileiro quanto eu.

Daí em diante, eu falei: “Ué, então peraí! Preciso entender o por quê de cada variação desse nome e então vou escolher uma delas para usar”.

Então eu peguei algumas línguas latinas para comparar as variações das palavras entre elas e tentar entender de onde vieram as versões do nome desse arroz, antes de qualquer coisa. Dê uma olhada:

Em Português

O Piemonte

A cozinha piemontesa

O restaurante piemontês

Em Italiano

Il Piemonte

La cucina piemontese

Il ristorante piemontese

Em Espanhol

El Piamonte

La cocina piamontesa

El restaurante piamontés

Em Francês

Le Piémont

Le restaurant piémontais

La cuisine piémontaise

Repare bem como a gente fez uma salada com esses idiomas, não só na grafia como na pronúncia. Se você jogar cada grupinho desse no Google Tradutor e clicar para ouvir a pronúncia (no mesmo idioma), vai ser fácil perceber como os sons se misturaram e resultaram em versões híbridas para o nosso arroz piemontês.

A maior parte das pessoas adotou um nome formado pela palavra do Espanhol, “Piamonte”: “piAmontese” ou “PiAmontesa” (mas com “à” em vez de “a la”). Raramente você vai ver “piEalgumacoisa”.

Eu não sou nenhuma grande conhecedora de Gramática e não domino as diferentes formas de formação de palavras, mas tenho uma tendência a não gostar de hibridismo quando ele não me parece ser necessário. Algumas palavras do nosso vocabulário são híbridas, formadas por radicais de diferentes idiomas, mas elas estão tão enraizadas no nosso Português, que seria até estranho “fazê-las de novo”. Por exemplo: bicicleta, burocracia, automóvel, sociologia. Agora, dar nome a um prato que faz referência a um local, como “Bacalhoada Portuguesa”, parece bem simples de ser feito de uma forma mais simples e direta. Para mim, “piamontese” é difícil de engolir.

Outra coisa interessante é que a pronúncia em Francês faz lembrar muito a forma como algumas pessoas leem “piamontese”: “piamontéssi”. Pior é que, se você for reparar, são exatamente as pessoas mais “frescas” (sempre no bom sentido, amo a França). É sério! Repare bem.

Seria fácil se todos chamassem de “arroz piemontês”, a versão 100% brasileira! Se bem que, a esta altura, a língua iria acabar se confundindo dentro da boca e sairia um sonoro “arroz piAmontês”.

O nome predominantemente usado por todo o Brasil é, realmente, o “arroz piamontese”. Uma soma de Português (arroz) com um híbrido de Espanhol e Italiano (piamontese). Caramba, não dava para ser menos “mestiço”?

Depois dele, vem o “arroz à piamontese” (que seria um “arroz à maneira piamontese”) e “arroz de piamontese” – que é o que me dá mais pavor. O  “arroz à piamontesa”, que vem em seguida, eu acho mais razoável.

Se você escrever no Google “arroz a” (sem acento no “a”, porque as pessoas não costumam acentuar as palavras para fazer buscas), adivinha o que ele vai autocompletar?

Pesquisa "arroz a" no Google

É que o Google se baseia no conteúdo da Internet e na busca das pessoas (se você estiver logado, também vai contar com o seu histórico, então faça o teste sem logar), por isso ele aprendeu que o nome correto é “arroz piamontese”.

Testei as outras variações e ele continuou me dizendo que “arroz a piamontese” é a forma correta, sugerindo a correção da grafia através do “você quis dizer” ou até mesmo ignorando a minha busca e exibindo logo os resultados de “arroz a piamontese”.

Isso porque ele não lê livros de culinária, porque senão teria mais certeza ainda!

Por conta disso, não adianta você tentar usar o Google para ver a forma correta de escrever uma palavra. Ele vai sempre “te ensinar” a mais comum! Um bom professor é muito mais confiável.

Por questões estratégicas, infelizmente eu sou obrigada a ficar também com a versão da maioria, pelo menos aqui no blog, porque assim as pessoas encontrarão o Socorro na Cozinha com mais facilidade quando buscarem por essa receita.

Vou concluir o assunto com os nomes que eu acredito serem possíveis de nos adaptarmos ao uso cotidiano e que considero mais adequados, do melhor para o menos pior:

1) Arroz piemontês (todo em Português)

2) Arroz piemontese (Português + Italiano)

3) Arroz piamontés (Português + Espanhol)

4) Arroz à piamontesa (Português + Português + Espanhol)

Ainda não sei se vou continuar falando “arroz à piamontesa” ou se vou começar a chocar os garçons com um brasileiríssimo “arroz piemontês”.

Acho inclusive que vou parar de comer esse troço.

E você? O que vai fazer da sua vida piemontesa?

Em tempo: professores, estudiosos, gramáticos e bons alunos, estão todos convidados a criticar tudo o que eu escrevi e deixar aqui nos comentários as suas idéias sobre o assunto e seus conhecimentos sobre formação de palavras. Se eu tiver cometido algum erro, assassinado a Gramática, antes mesmo de explicar que jamais gostaria de ter cometido um crime tão bárbaro, peço minhas sinceras desculpas por ter nascido! 😉

Mostre isso pro mundo:

Quem escreve

Criei este blog em 2007 como quem não quer nada e ele se tornou a melhor coisa que já fiz na vida! Aqui eu compartilho tudo o que sei sobre culinária, conto minhas histórias e ajudo quem precisa das primeiras lições na cozinha.

Comments on this entry are closed.

  • Pingback: Arroz branco x Arroz integral()

  • Mika

    Bem, o nome provavelmente surgiu do termo ” a là Piémontaise” que é o prato que tem como guarnição um risoto de trufas, preparado com creme de leite e, normalmente, são pratos de carne. Sendo assim, no Brasil substituímos as tão “raras e caras” trufas pelo cogumelo paris (geralmente em conserva) e o risoto pelo arroz nosso de cada dia, acrescido de creme de leite. Acredito que a versão mais puxada para o italiano faça mais sentindo… 😉

  • Ih, Ih, Ih, a receita vem aí!!!

  • Marina

    Aaaah eu pensei que ia ter receita no final hahahaha é difícil? Aliás, aqui em casa a gente fala “piamontêse”, mas ninguém sabe fazer!

  • Cintia

    Aaaaaaahhhhhh…..Já aprendi tudo,agora só falta a receita!!!! 😛 kkkkkkkkkkkk
    Amo seu blog!!! Bjsss